Home / Nutrição / Alimentação Saudável / B de bônus, benefícios e de BANANA!

B de bônus, benefícios e de BANANA!

Yes, nós temos banana! Fruta com cara de Brasil, aliás a mais consumida em nosso país, liderando o ranking em várias partes do mundo, inclusive no sudeste da Ásia, mais precisamente na Tailândia, local de sua origem.

Estudos realizados na Universidade Chiang Mai, na Tailândia, liderada pela professora de química Ratchada Cressey, tiveram resultados animadores às pessoas com colesterol elevado e diabetes tipo 2. A conclusão do trabalho sugere que a fruta consumida diariamente (em torno de duas unidades ao dia) elevou os níveis séricos de HDL (colesterol bom) e reduziu o LDL (colesterol ruim). A diminuição desse índice representa na prática um menor risco cardiovascular.

Surgem evidências de que ao ingerirmos a fruta diariamente, além de melhorar as taxas de colesterol, atua no controle da pressão arterial e é uma boa fonte de vitamina A, B6, B12 e C, além de ferro e cálcio. Entre os ingredientes que a fruta carrega e que estão por trás das benfeitorias às artérias está o magnésio, mineral que limita a atividade da enzima HMG-CoA redutase. Quando esta molécula está em equilíbrio, cai a produção de colesterol no fígado. As estatinas, remédios usados para baixar o colesterol, atuam justamente sobre essa enzima.

As fibras presentes na fruta são importantes, pois “ligam-se aos ácidos biliares no intestino, diminuindo o poder de reabsorção do colesterol LDL. Assim, as fibras são excretadas nas fezes diminuindo a quantidade de ácidos biliares no ciclo intestino-fígado. Outro possível mecanismo do conteúdo fibroso são os ácidos graxos de cadeia curta formados pela degradação das fibras na flora intestinal, os quais ajudam a reduzir o LDL no sangue”, relata a nutricionista Valéria Arruda Machado, coordenadora do ambulatório de nutrição do setor de lípides da UNIFESP.

Os benefícios da fruta não param por aí, sabe-se que ela também é rica em potássio e segundo Valéria “A alta ingestão de potássio está associada com níveis reduzidos de pressão arterial. Estudos têm demonstrado que a excreção do mineral na urina representa a quantidade do mesmo ingerido na dieta, podendo ser um marcador da efetividade da terapia anti-hipertensiva e de desfechos cerebrovasculares (AVC). A suplementação de potássio possui efeito hipotensor e, em pacientes com hipertensão moderada, estudos clínicos têm revelado que dietoterapia baseada em frutas, verduras e legumes enriquecidos com o mineral podem reduzir a pressão arterial, quando associada à redução de sódio na dieta”.

E trate de esquecer a reputação de que ela é um “alimento engordativo”. Para quem segue uma dieta alimentar hipocalórica, a fruta não atrapalha na manutenção ou controle do peso. Em média, a banana apresenta 90 kcal em 100g.

Existem algumas variedades, tais como: thap maeo (tem alto teor em fibras), prata (campeã disparada em vitamina C, em 100g possui 98 kcal), da terra (é a maior e mais pesada, em 100g reúne 128 kcal), ouro (não ultrapassa 10cm e pesa 50 gramas), maçã (em 100g, há 87 kcal. Junto com a banana-prata e a banana-da-terra faz parte da trinca com os maiores teores de vitamina C), nanica (não faz jus ao nome, devido ao rendimento e textura é a mais usada na culinária. Em 100g possui 92 kcal).

Muito tem se falado que a banana verde é eficaz no controle do colesterol e da glicemia. A nutricionista Valéria A. Machado, assim explica: “Nesse estágio, a fruta é rica em amido resistente (AR), substância que tem efeitos fisiológicos semelhantes aos prebióticos e fibra dietética, ou seja, não é digerido e absorvido no intestino delgado, estimula o crescimento de bactérias benéficas no intestino a partir da fermentação, aumentando assim a produção de ácidos graxos de cadeia curta, principal fonte energética dos enterócitos e responsáveis pela obtenção do pH ideal para a sobrevivência das bactérias benéficas, em detrimento das patogênicas.

A utilização do amido resistente pode diminuir o risco de doenças cardiovasculares e contribuir para a perda de peso, controlar a glicemia e o colesterol, além de promover a sensação de saciedade por um período maior de tempo”.

Estudos acadêmicos comprovaram que pessoas com diabetes ao ingerirem banana nas primeiras horas do dia, aumentaram de forma significativa os níveis de adiponectina, hormônio secretado pelo tecido adiposo que tem por finalidade captar a glicose sanguínea, além de desempenhar um papel significativo em distúrbios metabólicos, tais como obesidade, diabetes tipo 2, doenças arteriais coronarianas e síndrome metabólica, por atuar na melhoria da sensibilidade insulínica e por apresentar propriedades anti-inflamatórias e anti-aterogênicas, isso explica o fato dela resguardar a camada interna das artérias, diminuindo o risco de entupimentos que, em última instância provocam infarto  e AVC.

Consuma diariamente essa fruta. Seu organismo agradece!!

 

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

44 a

A ingestão do Golden Berry permite que o açúcar seja absorvido na corrente sanguínea de forma gradativa!

Caro leitor, você consome Golden Berry? Caso a sua resposta seja afirmativa, parabenizo você e, ...