Home / Consumidores / Depoimentos / Conheça a emocionante história de vida de Roberta Alves Silva!

Conheça a emocionante história de vida de Roberta Alves Silva!

Seja Autor da mais Linda História – a Sua!

Roberta

Roberta Alves Silva

Meu nome é Roberta Alves Silva, tenho 28 anos e há 14 com diabetes tipo 1, denominado Brittle (lábil), um subtipo do diabetes com algumas complicações. No final de 2014, me tornei renal crônica após vários tratamentos de outras doenças autoimunes, entre elas Síndrome de Schmidt, Insuficiência Adrenal, Hipertireoidismo, Hipotideoidismo. Tive várias intervenções médicas e suas reações, entre elas agranulocitose e reação leucemoide levaram à falência total dos meus rins no ano de 2014.

Meus momentos mais difíceis foram sustentados por um coração grato e uma fé inabalável. No decorrer do tratamento do diabetes, que sempre foi instável e de difícil controle – altas doses de insulina, coma por hipoglicemia e hiperglicemia, restrições e internações prolongadas, transfusões, cirurgia para a retirada de dois nódulos benignos nos seios, me fizeram entender, que a dor nos fortalece. Mesmo morando sozinha desde os meus 16 anos nuca estive só. Minha casa é o lugar onde me sinto mais segura na vida, pois nela eu tenho a presença de um Deus inefável cheio de graça e bondade que me ajuda a dormir e acordar todos os dias. Mesmo que existam dias tristes, e eles sempre vão existir, encontro dentro do meu coração o único motivo para agradecer a vida que tenho. A oportunidade de estar viva!

Fazer terapia me ajuda muito nessa caminhada. Muitos me perguntam por que atualmente não faço mais hemodiálise, apesar de fazer um acompanhamento continuo com uma equipe multidisciplinar? Prestem atenção na narrativa e acreditem, milagres acontecem e aqui está a prova da personificação de um deles – eu!

A resposta para não fazer hemodiálise é um presente de Deus, fruto de uma oração feita no final de 2015, onde pedi que Ele me desse 30% da função renal, porque assim eu receberia “alta” da máquina. Me lembro de ter dito “Jesus, eu só tenho de te agradecer, recebe minha oração, te agradeço a oportunidade de me cuidar, por ter amigos e um plano de saúde, por ter a chance de ter médicos que cuidam de mim como filha e por Você ser o estímulo que preciso para continuar e jamais desistir. Não preciso de um rim ou dois funcionando, preciso apenas de 30%”. Essa oração foi atendida, meus exames melhoraram e a médica nefrologista que acompanha meu quadro clínico me deu “alta” da máquina!

No ano de 2006 enfrentei uma situação de grave hipoglicemia em uma região de Belo Horizonte, ali vivendo as incertezas se o socorro chegaria para me salvar, bem debilitada, consegui entrar numa drogaria para pedir ajuda. A farmacêutica prontamente me socorreu e assim que percebeu que havia condições de conversarmos, me informou que em breve aconteceria um encontro para pessoas com diabetes, a Colônia Diabetes Weekend, na qual eu deveria participar. Participar dela era inviável, por questões financeiras. Retornei para casa e dois dias após recebi uma ligação dessa drogaria que gentilmente pagou minha inscrição no evento. Começava a minha história de resgate de uma menina que deseja ansiosamente ser alcançada e que precisava aprender a conviver com aquela condição médica que me fazia estar sempre entre a vida e a morte, em frações de minutos.

A Colônia foi responsável por iniciar o processo de resgate da minha identidade, do tratamento e do meu coração, se tornando a “menina dos olhos” da minha vida. Nunca me esquecerei do cuidado de toda a equipe ao me cercar de proteção e amparo, velando o meu sono para que eu pudesse ficar bem. Foi na Colônia que me restabeleci, aprendi e cresci, possibilitando que eu reescrevesse minha história com doçura, graça e amor. Obrigada Dr. Levimar Rocha Araújo e equipe, fonte de inspiração e todo o meu amor.

A dor, o abandono familiar, a rejeição, e as adversidades, nada disso foi suficiente para tirar o brilho dos meus olhos e o sorriso dos meus lábios. Sou fruto da dedicação de pessoas que me amam e me fazem feliz; enquanto meu coração bater, vou reproduzir através de atos de reciprocidade, empatia, fé e amor, a essência da minha existência – Servir ao próximo!

Não tenho a pretensão de ser um exemplo para ninguém, porque não sou. Mas tenho uma imensa vontade de ser uma inspiração para todos aqueles que precisam de ajuda, acolhimento e recomeços. Qual a minha motivação? Sempre acreditei que se você está vivo é porque existe um propósito e eu encontrei o meu caminho: ser uma voz movida pela paixão, defendendo a causa do Diabetes! A aceitação, o cuidado, o otimismo e a resiliência são necessários para que o diabetes se torne mais fácil de controlar. Todos nós que vivemos com esta doença precisamos de coragem e determinação. Sou usuária de bomba de insulina e meu controle melhorou muito com ela.

Atualmente, realizo trabalhos voluntários na Colônia Diabetes Weekend, que a cada edição, sou movida por algo extraordinário que invade meu coração e faz com que eu seja transportada para uma atmosfera de compaixão, otimismo e vontade de ajudar outras pessoas com diabetes. Mostrando a elas que é possível aprender a gerenciar seu controle com mais esperança e qualidade de vida. Eu acredito que Educação em Diabetes muda tudo no controle das glicemias. Estou envolvida em eventos educacionais em Diabetes, ajudando na Liga de Endocrinologia de Diabetes do Hospital Universitário de Ciências Médicas de Belo Horizonte, sob coordenação do Dr. Levimar Rocha Araujo, faço parte de uma equipe com várias Associações de Diabetes do Brasil, onde juntos somamos forças nas políticas públicas e advocay, para a mudança do cenário em nosso país para o tratamento do diabetes.

Minha vida foi composta por um ato recíproco de voluntariado e compaixão. Recebi gratuitamente o “colo” de uma equipe que me amou, cuidou e cuida de mim em todo o tempo com generosidade. Tudo isso, fez com que eu conquistasse e fosse homenageada no final de 2016 com o prêmio Internacional Bakken Invitation Award – Live On Give. Um prêmio que reconhece pessoas comuns ao redor do mundo, que possuem uma história pessoal de superação graças ao uso da tecnologia médica e que dedicam sua vida extra ao trabalho voluntário em suas comunidades. Contemplar o Programa Educacional em Diabetes sendo reconhecido por uma simples participante como eu, que foi amparada, salva e carinhosamente amada, fez meu coração explodir de gratidão.

Eu acredito que o mundo não precisa que as pessoas sejam melhores que os outros, o que precisamos são de pessoas que se coloquem para fazer algo com o que eles têm em suas mãos e possam transformar seu espaço e alcançar aqueles que estão ao redor. O amor nos humaniza e nos faz capaz de reproduzir atos de bondade e de entrega ao próximo. Que seu coração seja fonte de vida e cheio de sonhos!

Seja autor da mais linda história, a sua! Que o seu coração seja fonte de vida e cheio de sonhos! Retribua com dedicação e gratidão o amor e esforços de todos aqueles, que o cercam de cuidados e querem te ver bem: sua família, seus amigos, seu médico e os profissionais, que o acompanham. Mas, ame acima de tudo a única pessoa que pode escrever sua história doce: você!

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

pressao

Conheça o estudo mais recente que relata a relação do diabetes com a hipertensão!

  A Pressão Arterial e o Diabetes A hipertensão é uma doença crônica, silenciosa e ...