Home / Como lidar com o Diabetes / “O diabetes salvou a minha vida”. Leia a história de Daniel Ramalho

“O diabetes salvou a minha vida”. Leia a história de Daniel Ramalho

Daniel Ramalho – Personalidade em Foco

Superar o diabetes diariamente mantendo um olho na glicemia e outro na felicidade: essa é a nossa missão. Eu sou Daniel Ramalho, 42 anos e há oito com diabetes tipo1.

O diagnóstico da doença foi impactante – escutava as pessoas dizerem que estava emagrecendo demais, mas não percebia. Até que um dia, me penteando para ir ao trabalho, ainda com o cinto aberto, minha calça literalmente caiu no chão. Quando percebi que o diabetes havia chegado, comecei a buscar informações e pude notar que tinha outros sintomas próprios da doença como sede excessiva e muito cansaço.

Aceitei bem o diagnóstico, embora inicialmente tenha passado por momentos de incredulidade – a famosa expressão “isto não está acontecendo, deve ser um erro no exame”. Lembro que nas primeiras agulhadas, senti medo de morrer, sentimento prontamente sanado pela busca por leituras esclarecedoras no assunto.

diabetes

Um mês após o diagnóstico, sofri um novo baque – um difícil, doloroso e inesperado divórcio. Nessa época senti que a vida estava passando várias rasteiras ao mesmo tempo e a tentação de entrar no vitimismo foi enorme, principalmente porque já havia perdido um irmão que falecera aos 50 anos por complicações do diabetes em 2002. Portanto, o caminho da auto piedade era algo que realmente se apresentava como uma opção mais do que plausível naquele momento. Porém, ao invés de me entregar às lamúrias, consegui perceber que o diabetes não tinha cura, assim como o casamento não tinha volta. Busquei então razões para lutar e que estímulo pode ser maior do que a nossa própria vida?

Não exagero em dizer que o diabetes salvou a minha vida: comecei a me alimentar melhor, voltei a praticar esportes, enfocando não só a saúde física, mas também a mental e soube priorizar o que realmente era importante. Assim, passei a realizar os meus sonhos, ou seja, compor músicas e até consegui realizar uma trilha sonora para um filme, projeto que tanto ansiava!

E os meus sonhos não param por aí, a construção do meu blog (https://diabetesesporteenatureza.com.br/), em outubro de 2014, tem por finalidade motivar as pessoas, ajudá-las na superação de problemas não só os relacionados ao diabetes, mas aos outros setores da vida, trabalho que venho realizando nos últimos tempos.

Aprendi também a dividir o meu tempo com outras atividades que realizo. Há 19 anos dedico grande parte do meu dia à administração escolar. Tenho formação em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, profissão exercida no blog supracitado, mas a função mais apaixonante e nova é a de pai.

O diabetes também ajudou a estabelecer uma rotina diária. Não a vejo como uma castração e sim adaptação. Como a maior parte do tempo estou em um gabinete com papeladas e computador, adaptei o ambiente de trabalho às minhas necessidades: geladeirinha portátil para manter as insulinas, tendo em vista que a temperatura no Rio de Janeiro é extremamente quente. Costumo também colocar pequenos quadrinhos com mensagens motivacionais nas paredes, mantenho fitas de medição e glicosímetro sempre próximos, bem como outros itens de saúde como álcool para higienização, tabletes de glicose e sachês de açúcar para o caso de uma hipoglicemia e o mais importante: todos os funcionários da escola sabem que tenho diabetes tipo 1 e aprenderam como agir caso haja necessidade.

Adoro esportes. Faço caminhadas com mais regularidade, tenho feito musculação para aliviar uma antiga lesão que me impede de correr e pratico surf, bodyboard e stand up paddle, além de curtir uma bike e fazer trilhas em contato com a natureza.

É um prazer enorme ver os resultados na ponta do dedo. Se todos soubessem o bem que faz a atividade física para os nossos controles, nenhuma pessoa com diabetes continuaria sedentária.

O sofrimento faz parte da vida, assim como a alegria e a superação.

Aquela tia chata pode até nos dizer no meio da festa de aniversário, para todo mundo ouvir, que não podemos comer bolo porque somos diabéticos. Se decidirmos enfrentar nossa disfunção com dedicação e boa vontade, aprenderemos o suficiente para respondermos à tal tia que seguindo nosso tratamento, Nós Podemos Tudo!

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

mitos-sici

Tire suas dúvidas sobre bomba de insulina aqui!

Mitos e Verdades sobre o Sistema de Infusão Contínua de Insulina O Portal De Bem ...