Home / Exercícios Físicos / Dicas Práticas / Quais são os prós e contras das superfícies de corrida! Confira os detalhes aqui!

Quais são os prós e contras das superfícies de corrida! Confira os detalhes aqui!

Pisos e Superfícies para Corrida

Emerson Bisan*

Caros leitores, nessa matéria daremos “dicas” importantes sobre os pisos e superfícies mais usuais nas pistas de corrida. Sabemos que nosso organismo reage de forma diferente a cada um deles e, portanto, é importante conhecer as suas características.

Quando se pensa numa escala de dureza para pisos de corrida, digamos que partindo de um piso mais rígido e duro para um mole e flexível (maleável), temos a seguinte divisão: mármore, cimento, asfalto, pista emborrachada, saibro, terra batida ou pedrisco, esteira, areia, grama, dentre outros que dificilmente aparecem nos ambientes onde se pratica a modalidade.

Vejamos a diferença entre os pisos mais duros e os mais flexíveis:

  • Se por um lado a absorção do impacto pelos mais flexíveis protege as articulações, coluna e solado dos pés contra a força que o peso do corpo é descarregada nesses componentes, em contrapartida, eles não oferecem uma resposta na hora dos pés saírem do chão para executarem a passada, exigindo dessa forma um pouco mais do desempenho da musculatura da perna e do quadril para a execução da fase de decolagem dos pés no momento da corrida.
  • A grama é a que gera menor impacto nas articulações e coluna. Uma segunda opção seria a areia, que recebe com carinho o peso corpóreo articular até a sola do pé, vencendo de longe o asfalto, o que causa maior impacto.
  • Quanto ao gasto calórico, devido à maior flexibilidade e menor dureza, a grama é aquela que mais exige desempenho muscular e, portanto, maior gasto calórico. O que não significa eficiência da corrida em velocidade.
  • Sobre os benefícios corporais obtidos na corrida em areia, podemos salientar que se a mesma for realizada em areia fofa, esta faz com que haja uma ativação muscular muito grande, fortalecendo além dos músculos principais responsáveis pela corrida, outros grupos como glúteos, adutor e isqueotibiais, atuando tanto na parte funcional desenvolvendo força, como na parte estética através de um tônus muscular completo.
  • Devido ao fato da grama ser macia e geralmente estável, é muito utilizada para corridas leves e de caráter regenerativo (pós-treino de grande esforço).
  • No asfalto, prezamos por eficiência pela sua resposta rápida ao impacto e impulsionamento dos pés, pernas e componentes elásticos usados no movimento da corrida. Portanto, o impacto é maior, mas com certeza a velocidade é muito superior.

Aos leitores que têm diabetes, faço uma recomendação especial no cuidado dos pés, para que os mesmos não apresentem lesões ou machucaduras durante e pós-treino. Para isso, é necessário a escolha de um tênis adequado, com boa proteção, ventilação, amortecimento e tamanho correto.

Young couple running

*Emerson Bisan é educador físico com Especialização em Treinamento Desportivo de Alto Nível na Academia Estatal de Cultura Física de Moscou, Rússia.

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

treinabilidade

A efetividade do treino personalizado no condicionamento físico

Há tempos que grandes médicos estudam e tratam as pessoas de forma personalizada, pois acreditam ...