Home / Consumidores / Será que todos precisam ter acesso aos medicamentos e insumos mais modernos?

Será que todos precisam ter acesso aos medicamentos e insumos mais modernos?

Acesso a medicamentos e insumos mais modernos! Estimativas dizem que somente 1% da população com diabetes faz uso destas terapias. Entenda aqui!

Quando comparamos as tecnologias hoje disponíveis para quem tem diabetes no Brasil, percebemos o salto que demos para facilitar o tratamento. Quem tem mais de 25 anos de diagnóstico usava um glicosímetro que lia a taxa de glicemia pela urina e precisava aplicar insulina por meio de uma seringa de vidro e reutilizá-la após a esterilização a cada aplicação.

Tempos estes que não deixam saudade. Hoje temos acesso às insulinas análogas de ação rápida, que começam a fazer ação 15 minutos após a aplicação. Por sua vez, as insulinas de ação lenta têm duração de 12 a mais de 24 horas no organismo. Sem citar as bombas de infusão contínua de insulina, os sensores, medicamentos que eliminam uma parte do açúcar pela urina….mas será que todas as pessoas com diabetes têm acesso a estes medicamentos e insumos? Será que estas tecnologias precisam ser utilizadas por todos?populacao post 2

Dr. Marcio Krakauer concedeu uma entrevista para o Jornal Diário do Grande ABC, em que a jornalista escreveu: “embora o Brasil disponha de tecnologia avançada voltada ao tratamento da diabetes, menos de 1% da população acometida pela doença atualmente – cerca de 14 milhões de pessoas no País – têm acesso a estes tratamentos. O cenário é resultado da lentidão com que estes recursos são incorporados pelo SUS (Sistema Único de Saúde), o que acaba restringindo àqueles que pagam o uso das terapias modernas”. Mais detalhes podem ser lidos aqui: http://www.dgabc.com.br/Noticia/2628424/menos-de-1-dos-diabeticos-tem-acesso-a-terapia-moderna

Esta reportagem me chamou a atenção e fui conversar com o próprio endocrinologista, que concedeu a entrevista para ter mais detalhes sobre este tema.

Portal De Bem com a Vida: Dr. Marcio, o Diário destacou na matéria que somente 1% das pessoas com diabetes no Brasil tem acesso à terapia moderna. De onde veio este dado?

Não é pesquisa, é estimativa. Ao todo, 7.000 pessoas com diabetes tipo 1 usam bombas no Brasil.

Portal De Bem com a Vida Como as pessoas no Brasil poderiam ter acesso a esta tecnologia mais moderna?

Com o desenvolvimento de protocolos específicos, como foram feitos em países como Alemanha, Eslovênia, etc… Para evitar a judicialização em massa, e só judicializar casos especiais e específicos.

Portal De Bem com a Vida Você acredita que todas as pessoas com diabetes precisam ter acesso à terapia moderna? Explique em quais casos.

Não. Acredito que a terapia mais antiga cabe em uma quantidade muito grande de pacientes, e pode dar conta muito bem. Acho que a educação em diabetes, divulgação, prevenção e tratamento bem inicial iriam poupar muito das terapias mais modernas, que têm mais benefícios em termos de redução de hipoglicemia do que do próprio controle em si.

Portal De Bem com a Vida: Como o Brasil pode ajudar a pessoa com diabetes a ter mais adesão ao tratamento e ter o controle mais adequado?

Com mais investimentos em educação da população em geral, e principalmente dos profissionais de saúde das áreas básicas, não há outra saída. Entregar medicamentos e insumos sem educação e controle é uma saída que não dá certo.

Portal De Bem com a Vida: Deixe uma mensagem.

Gostei da frase do médico Paulo Hoff: “A saúde do ser humano não tem preço, mas alguém tem de pagar a conta. Educação custa muito mais barato que medicamentos. Devemos investir todos os esforços nesta área”.

Vanessa Pirolo

Jornalista, criadora do blog convivência com diabetes, tem diabetes desde o seus 18 anos, e redatora do Portal DBCV. Quer me conhecer melhor? Então, clique aqui!

More Posts - Website

Deixe Seu Comentário

comentários

Veja também

SHUTTERSTOCK_327361349_Huge

Conheça a Dra. Denise Kaplan e seus projetos!

Dra. Denise Kaplan e seu projeto de intervenções educacionais  Caro leitor, você nunca sentiu vontade ...